Página Temática - Investidor

27/01/2017 14:20

Lançado em Salvador, programa fortalece indústria de petróleo

As indústrias exploradoras e produtoras de petróleo e gás recebem novo incentivo com o Programa Nacional de Revitalização das Atividades de Exploração e Produção de Petróleo e Gás em Áreas Terrestres (Reate), lançado na manhã desta sexta-feira (27), em Salvador. Realizado no auditório do Senai Cimatec, em Piatã, o evento apontou novos horizontes para a atividade, que, através de empresas de pequeno e médio porte, pode avançar na exploração de poços, gerando emprego e promovendo o desenvolvimento econômico de regiões como o interior da Bahia, onde há bacias maduras atualmente não exploradas.
Lançado pelo Ministério de Minas e Energia (MME), o projeto é um dos resultados do Fórum Bahia Onshore, que aconteceu no dia 25 de novembro, na capital baiana. Segundo o ministro do MME, Fernando Coelho Filho, a iniciativa faz parte de uma série de ações do governo federal com o objetivo de fortalecer o setor. “Estamos lançando esse programa para ouvir mais a indústria, para aumentar a participação, juntamente com a possibilidade de desmobilização de alguns ativos da Petrobras. Assim, as indústrias terão oportunidades não só nesses ativos, mas também em novas áreas. Vamos ter em maio um leilão terrestre e estamos buscando outras formas de dinamizar esse setor. E nada mais justo do que dar esse pontapé inicial aqui na Bahia, onde tudo começou”, afirmou o ministro.

Especialmente para a Bahia, o projeto significa novas oportunidades, é o que acredita o secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, Jaques Wagner. “A Bahia já foi o maior produtor de petróleo, principalmente em terra. Hoje, temos muitos poços hibernando, desativados. Para a Petrobras, que tem um custo fixo maior e interesse por áreas que tem uma produtividade muito maior, pode não ser tão interessante explorar esses poços. Mas temos todo um conjunto de pequenas e médias empresas que podem gerar um volume de emprego significativo, gerar ICMS pela extração. É uma riqueza que está parada”, explicou o secretário.

Foto: Manu Dias/GOVBA
O ministro Fernando Coelho Filho e o secretário Jaques Wagner participaram do evento de lançamento
(Foto: Manu Dias/GOVBA)

Essa iniciativa e a comunicação com a indústria vão subsidiar o governo federal em relação às medidas que podem ser adotadas para impulsionar a atividade. Parceria que dinamiza o setor de exploração e produção de petróleo e gás no Brasil. Para o presidente da Associação Brasileira de Produtores Independentes de Petróleo e Gás (ABPIP), Marcelo Magalhães, essa é a oportunidade de reconstruir uma indústria que, nos últimos anos, tem apresentado grande queda na produtividade.

“A produção da Bahia caiu mais 24% nos últimos dois anos, e a gente acredita que isso pode ser revertido, gerando empregos e desenvolvendo a atividade econômica. É o que precisamos no País nesse momento. Esperamos que as medidas que serão tomadas a partir do Reate possam promover o desenvolvimento da indústria do petróleo no estado”, destacou o presidente da ABPIP.

Repórter: Anna Larissa Falcão
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.